Fundo Paginas em agenda

14 Dezembro 2022 a 30 Junho 2023

Sala de Exposições do Instituto Universitário Justiça e Paz

Exposição "Justiça e Paz, 50 Anos - Um ensaio visual"

o olhar no tempo
José Maçãs de Carvalho, dezembro de 2022

A fotografia é sempre uma linguagem por decifrar mas também é sempre um suplemento do discurso. Por mais exausta que esteja neste nosso tempo híper mediático continua a interrogar-nos quando a vemos impressa e exposta.

Jacques Rancière nota que a fotografia se instala num regime que articula o dizível e o visível, articulando-se numa dinâmica que oscila entre a vontade de semelhança e o destino da dissemelhança. Por mais que sejam justas com o real também dele se afastam por via da composição e do recorte: selecionar é excluir!

A virtude desta análise de Rancière, no livro “O destino das imagens (2003)”, passa pela releitura de outra grande obra para a clarificação da essência da fotografia, a “Câmara Clara” (1980) de Roland Barthes. Neste contexto interpretativo o autor refere que a fotografia constrói uma “dupla poética para a imagem”, substanciado na afirmação de que as fotografias são “testemunhos visíveis de uma história” ou “puros blocos de visibilidade” resistentes a uma narrativa, por vezes alternativamente, outras vezes simultaneamente.

Nesta medida, pensamos que o ensaio visual desenvolvido pela Sofia Martins e pelo João Neves (ambos frequentaram as minhas aulas de Fotografia na Universidade de Coimbra quer no Departamento de Arquitetura da FCTUC, quer na FLUC) se afasta do registo documental clássico e aproxima-se daquilo a que chamamos, na atualidade, um registo pós documental.

Estas imagens estão na intersecção com o documental que traz um desejo de real, transfigurado pelas fotografias. O que nos é dado a ver são fragmentos de uma instituição a partir dos quais se sente (com o olhar) como aí se vive. Nunca há a pretensão de mostrar a totalidade mas sim aproximarmo-nos dela, recolhendo os vestígios do tempo, da luz ou dos rituais.

Giorgio Agamben escreveu que “os que coincidem de um modo excessivamente absoluto com a sua época, que concordam perfeitamente com ela, não são contemporâneos, porque, justamente por essa razão, não conseguem vê-la.” (“O que é o contemporâneo? E outros ensaios.”, 2009). Direi que este ensaio visual tem um forte acento contemporâneo, não por ser atual mas, — voltando ao autor — porque “… mantém o olhar fixo no seu tempo, para perceber não as suas luzes, mas sim as suas sombras.” A sombra como produção neurofisiológica e não como privação do visível.

Nas sombras, com a luz, vai-se desenhando um retrato temporal da instituição, feito lentamente. Em cada fotografia os autores imprimem uma subjetividade contida e pensativa, construindo imagens correlativas dos lugares circundantes e interiores, posicionando-se no real de forma poética, ora testemunhando a história da casa, ora trazendo o espanto do visível.

 

Exposição

7 Dezembro 2022 a 31 Julho 2023

Auditório do IUJP

3º Encontro Mensal JMJ: Rui Santiago

O Instituto Universitário Justiça e Paz e o SPES convidam todos os estudantes do ensino superior para a maior experiência de toda uma geração: a Jornada Mundial da Juventude (JMJ).

E, porque não há bons frutos sem cuidar muito bem da árvore, além da participação na JMJ, em Agosto de 2023, propomos um percurso com encontros mensais de preparação espiritual e mobilização de todos:


PRÓXIMO ENCONTRO MENSAL

7 DE DEZEMBRO DE 2022
Tema: Os meus livros, a minha escola
Com Rui Santiago
Padre Redentorista
No IUJP
Couraça de Lisboa, 30


«Encontrei nos livros uma espécie de inesgotável cidade onde habitam as histórias e os mestres que preciso. Gosto muito de ler a andar. Treinei-me nisso depois de me terem perguntado, há muitos anos, “que livro andas a ler”. Nesse dia, pela primeira vez, andei a ler. Só para ensaiar o trocadilho. Até hoje. Juro que nunca fui contra nenhum poste. Neste caminho que vai dar às JMJ, vou partilhar uns quantos livros, autores e histórias para quem quiser também andar a ler. A minha fé não sobrevive fora do universo da Palavra. Era disso que eu gostava de conversar contigo.» Rui Santiago


ENCONTROS SEGUINTES:

15 DE FEVEREIRO DE 2022
15 DE MARÇO DE 2022
Meses seguintes serão anunciados em breve.

- - -

A Jornada Mundial da Juventude (JMJ) é um encontro dos jovens de todo o mundo com o Papa. É, simultaneamente, uma peregrinação, uma festa da juventude, uma expressão da Igreja universal e um momento forte de evangelização do mundo juvenil. Apresenta-se como um convite a uma geração determinada em construir um mundo mais justo e solidário. Com uma identidade claramente católica, é aberta a todos, quer estejam mais próximos ou mais distantes da Igreja.

A JMJ 2023 decorrerá em Lisboa, entre 1 e 6 de agosto de 2023. Na semana anterior, por todo o território nacional, decorrerão os Dias nas Dioceses. A Diocese de Coimbra conta acolher, nessa semana, mais de 15 000 jovens peregrinos de todo o mundo, entre 26 e 30 de julho de 2023.

 


Reaje e Partilha no Facebook Reaja e Partilhe no Instagram
3º Encontro Mensal JMJ: Rui Santiago

16 Novembro 2022 a 31 Julho 2023

Casa das Caldeiras

2º Encontro Mensal JMJ: Susana China

O Instituto Universitário Justiça e Paz e o SPES convidam todos os estudantes do ensino superior para a maior experiência de toda uma geração: a Jornada Mundial da Juventude (JMJ).

E, porque não há bons frutos sem cuidar muito bem da árvore, além da participação na JMJ, em Agosto de 2023, propomos um percurso com encontros mensais de preparação espiritual e mobilização de todos:

16 DE NOVEMBRO DE 2022
Tema: A minha música, a minha fé
Com Susana China
Cantora e Compositora de Coimbra
Na Casa das Caldeiras
R. Padre António Vieira, 5


Uma conversa com Susana China, cantora, compositora e professora de voz. Quando fala das suas aulas, reconhece com a ousadia que lhe é caraterística: «aí, modéstia à parte, sou uma grande "prof"!». Como tudo começou? «Há 20 anos fui à procura. Encontrei um grupo de amigos que tinha jeito para as cantorias e guitarradas e começámos a cantar e rezar em conjunto». A Susana oferece-nos, gentilmente, acompanhada à guitarra pelo Guilherme Pinto, um serão com as suas canções, mas também com a sua história de vida e de fé.


ENCONTRO SEGUINTE:

7 DE DEZEMBRO DE 2022
Tema: Os meus livros, a minha escola
Com Rui Santiago
Padre Redentorista
No IUJP
Couraça de Lisboa, 30

- - -

A Jornada Mundial da Juventude (JMJ) é um encontro dos jovens de todo o mundo com o Papa. É, simultaneamente, uma peregrinação, uma festa da juventude, uma expressão da Igreja universal e um momento forte de evangelização do mundo juvenil. Apresenta-se como um convite a uma geração determinada em construir um mundo mais justo e solidário. Com uma identidade claramente católica, é aberta a todos, quer estejam mais próximos ou mais distantes da Igreja.

A JMJ 2023 decorrerá em Lisboa, entre 1 e 6 de agosto de 2023. Na semana anterior, por todo o território nacional, decorrerão os Dias nas Dioceses. A Diocese de Coimbra conta acolher, nessa semana, mais de 15 000 jovens peregrinos de todo o mundo, entre 26 e 30 de julho de 2023.

 


Reaja e Partilhe no Facebook Reaja e Partilhe no Instagram
2º Encontro Mensal JMJ: Susana China

12 Outubro 2022 a 31 Julho 2023

Instituto Universitário Justiça e Paz

1º Encontro Mensal JMJ: Amílcar Falcão

O Instituto Universitário Justiça e Paz e o SPES convidam todos os estudantes do ensino superior para a maior experiência de toda uma geração: a Jornada Mundial da Juventude (JMJ).

12 DE OUTUBRO DE 2022
Tema: O que eu (não) acredito
Com Amílcar Falcão,
Reitor da Universidade de Coimbra

Uma conversa com o Reitor da Universidade de Coimbra. O homem que está por detrás do Reitor e aquilo em que o mesmo acredita: causas, convicções, princípios. Um diálogo entre jovens e um pai de família, praticante e campeão de padel, professor, investigador e reitor, que partilhará na primeira pessoa, entre outros aspetos, uma das causas pelas quais lutou enquanto estudante do ensino superior.

 


Reaja e Partilhe no Facebook Reaja e Partilhe no Instagram
1º Encontro Mensal JMJ: Amílcar Falcão

1 Maio 2022 a 31 Outubro 2023

Documento disponível na ligação

Síntese da Escuta Sinodal no IUJP

“O caminho da sinodalidade é precisamente o caminho que Deus espera da Igreja do terceiro milénio” – palavras do Papa Francisco que nos convidam a percorrer um caminho de COMUNHÃO, PARTICIPAÇÃO E MISSÃO.

O objectivo deste Sínodo 2021-2023 é escutar, com todo o Povo de Deus, o que o Espírito Santo está a dizer à Igreja. Nesse sentido, procurámos que esta síntese fosse «fiel às vozes do povo e a tudo o que emergiu do seu discernimento e diálogo, mais do que uma série de afirmações generalizadas ou doutrinalmente correctas» (Vademecum Apêndice D).

No Instituto Universitário Justiça e Paz (IUJP), numa organização que mobilizou 33 voluntários, criámos 15 pequenos grupos com um total de 127 pessoas, vindas das várias Instituições de Ensino Superior de Coimbra e da cidade, entre as quais:

- 72 estudantes (a maioria participou na escuta dentro de dois encontros de preparação da JMJ 2023; um grupo, que incluía estrangeiros e crentes de outras religiões, foi escutado na sua própria residência de estudantes);
- 11 membros do Coro D. Pedro de Cristo;
- 44 não estudantes participantes dos grupos do IUJP e da assembleia dominical das 19 horas na Sé Nova

Em complementaridade, na Capelania da Universidade, para a elaboração de um segundo documento-síntese, um grupo de 29 voluntários do caminho sinodal (coordenadores, moderadores, secretários) organizou a reunião e contributo de 13 pequenos grupos, com um total de 87 pessoas, entre os quais 31 funcionários do Corpo Técnico das Instituições de Ensino Superior, 29 professores do Corpo Docente das Instituições de Ensino Superior e ainda 27 membros da assembleia dominical e Coro da Capela (CCUC), com algumas participações individuais através de formulário da Internet.

A Pastoral do Ensino Superior de Coimbra, através do Instituto Universitário Justiça e Paz e da Capelania da Universidade de Coimbra levou a escuta sinodal a um total de 214 pessoas:

- pessoas ligadas e não ligadas à Igreja;
- pessoas de outras confissões cristãs ou religiões, especialmente muitos estudantes muçulmanos;
- jovens que se sentem nas periferias, alguns em risco de abandono do ensino superior e de exclusão social;
- professores do ensino superior;
- membros do corpo técnico (funcionários) da Universidade e de outras escolas e institutos do Ensino Superior em Coimbra.

A.M.D.G.

 

Leia Aqui a Síntese da Escuta
Síntese da Escuta Sinodal no IUJP

Morada

 

 

Telefone

 

Email

Couraça de Lisboa, nº30
3000-434 Coimbra

 

239 822 483

 

iu.justicaepaz@gmail.com

Twitter
junta-te à conversa